Entrevista GOE

Entrevista com o Grande Orador Estadual de São Paulo - José Geraldo Meirelles Palma Isola

As novidades neste segundo semestre do GCESP não param!

A partir de agora, mensalmente, o nosso Comitê de Comunicação voltará a fazer uma singela homenagem aos Tios e Irmãos mais influentes da história da Ordem DeMolay Paulista. Vamos, juntos, conhecer mais de perto as figuras que prestaram grandes serviços à Ordem DeMolay. O objetivo é inspirar vocês com estes grandes exemplos.

O entrevistado da vez é o Irmão José Geraldo Meirelles Palma Isola, um dos idealizadores do Conselho de Aprimoramento de Mestres Conselheiros do estado de São Paulo, o CONAMESCO.

Realizado pela primeira vez em 2003, o CONAMESCO busca o desenvolvimento intelectual dos jovens, capacitando-os para serem verdadeiros Mestres Conselheiros. A iniciativa foi pioneira e inspirou a realização de CONAMESCOs em diversos estados brasileiros.

GCESP: Como surgiu a ideia de criar um Conselho para Aprimoramento dos Mestres Conselheiros?

Isola: A ideia de criar o evento surgiu no Encontro Estadual, em Ribeirão Preto, há 16 anos. Na época, fizemos uma pesquisa com os Mestres Conselheiros e eles disseram que estavam insatisfeitos com a gestão, que não conseguiam colocar em prática aquilo que haviam idealizado e que não tinham o apoio do Capitulo, deixando-os frustrados. O objetivo foi de ajudar os Mestres Conselheiros, ensinar como se faz uma boa gestão e orienta-los a não ficar dando atenção somente a cargos, colares e burocracias.

GCESP: Você acredita que os Mestres Conselheiros do estado de São Paulo estão preparados para liderar seus Capítulos depois de participarem do CONAMESCO?

Isola: O CONAMESCO dá um embasamento interessante para os Mestres Conselheiros, principalmente em desmistificar que eles têm a obrigação de ser um Mestre Conselheiro perfeito. O intuito é preparar os jovens para serem líderes de si mesmo. Reconhecerem suas falhas, aquilo que eles devem melhorar. Serem, antes de mais nada, DeMolays de verdade. Não somente Mestres Conselheiros. Eu acredito que o jovem possa melhorar como pessoa.

Isola, Moretti, Karate e Beleza
Isola (primeiro da esquerda para a direita), Moretti, Karate e Rodrigo Beleza

GCESP: Como você vê o seu trabalho sendo divulgado e disseminado para todo o país?

Isola: Eu vejo isso como uma grande oportunidade para todos os DeMolays do Brasil. É uma ótima oportunidade para outros meninos participarem do evento. O mérito disso também é do Tio Guilherme Aguiar, que levou o CONAMESCO para os outros estados na sua gestão como Grande Mestre Nacional.

GCESP: Você foi Mestre Conselheiro? Como você define a sua gestão?

Isola: Sim, eu fui Mestre Conselheiro no segundo semestre de 1999. Defino a minha gestão como “boa”, fui muito feliz enquanto Mestre Conselheiro. Não tive apoio total do meu Capítulo, pois, na época o Capítulo estava passando por grandes problemas. Foi bem na época da separação do Supremos...

GCESP: Já se passaram 15 anos do primeiro CONAMESCO. Você acha que o evento evoluiu? Continua sendo essencial para os Capítulos?

Isola: Nesses 15 anos o CONAMESCO evoluiu muito. O evento evoluiu, principalmente, espiritualmente. Nós tivemos coordenadores sensacionais que souberam dirigir a equipe e lutaram para que o evento fosse sempre feito com a máxima perfeição. Hoje, o evento agrega muito ao Mestre Conselheiro eleito. A participação dos Tios do Conselho, que antigamente não era permitida, também agregou muito ao evento. A liderança adulta está comprometida com o CONAMESCO. Evoluiu também no quesito de união entre os membros da equipe e conseguimos levar isso para os Mestres Conselheiros.

Isola, Moretti, Karate e Beleza
Isola (primeiro da esquerda para a direita), Irineu, Rodrigo Beleza, Emilio de Lucca Jr. e Moretti

GCESP: Qual o principal desafio na organização do primeiro evento?

Isola: O grande desafio dos primeiros CONAMESCOs era cumprir com os objetivos do evento. Na época, existia algumas pessoas que não gostavam, dizendo que o Grande Conselho estava impondo algo aos Capítulos. Mas, a partir do terceiro evento, já se tornou algo “normal”. O Mestre Conselheiro que participava do evento começava a incentivar o futuro Mestre Conselheiro a comparecer ao evento. Também tivemos alguns problemas com o local, aquela preocupação se vai atender bem ou não. Nos primeiros CONAMESCOs contávamos com pessoas que nos ajudavam a fazer a comida. Meus pais, por exemplo, nos ajudavam a fazer as compras. O número de Capítulos era bem menor do que é hoje. Estas foram dificuldades normais e rotineiras na organização de eventos. Mas, o grande e o principal desafio sempre foi atingir o coração dos Mestres Conselheiros e isso eu acho que conseguimos atingir desde o inicio.